Entrada

Este blog é destinado a Casais Liberais e que apreciam relacionamentos bissexuais.

Nosso blog foi criado para divulgar o tema, porém muitas pessoas estão utilizando para propaganda pessoal e divulgação de seu telefone ou blog. Nunca fomos contra mas já está se tornando abusivo.. divulgar um blog é dificil, e se utilizar de outros para tal é no mínimo falta de ética!! Caso isso persista, também teremos que mudar nossas atitudes!! Grato

Contos


Deusa do Incesto – “Provocando com tesão o meu enteado”

Tenho 45 anos de idade, 1.72 de altura, 62 kg, calço o número 35, tenho os seios médios e bem firmes com lindos bicos róseos. Meus cabelos são loiros e lisos, cujo comprimento vai um pouco abaixo dos meus ombros. Já o meu marido tem 58 anos de idade, 1.74 de altura, 88 kg, moreno claro, elegante, sempre de muito bom humor. Quando nos casamos eu já tinha a minha filha Gladys, que é do meu primeiro casamento e que hoje está com 24 anos de idade, e é casada, como ainda o meu filho Breno de 22 anos.  O meu marido também já tinha um filho do seu primeiro casamento que é o Hudoson, que hoje está com 22 anos, a mesma idade do meu filho. E pelo fato desse meu segundo marido ser um voyeur e exibicionista convicto, acabei descobrindo o prazer e a arte do exibicionismo em público, como ainda, através das lentes da nossa web cam, ele me exibia nas salas de Bate Papo, como também, pelo meu MSN que hoje é o Skype.  Mas quando ele descobriu que tinha diabetes, ele se abateu bastante até porque, já não conseguia mais ter ereções e eu procurei da melhor maneira possível ajudá-lo, mas ele nunca mais foi o mesmo homem que me comia sempre muito gostoso.
Foi então que ele passou a me pedir para que eu saísse com outros caras, desde que não me envolvesse sentimentalmente. No inicio eu estranhei, mas, diante dos seus pedidos que passaram a ser mais constantes, decidi acatar. Comecei a ler nas revistas e sites, os relatos de mulheres casadas que saíam com outros caras com o consentimento do próprio marido e daquelas que saíam porque gostavam de trair de forma compulsiva. E ao ler esses relatos, comecei a gostar por incrível que pareça por aquelas confissões de mulheres casadas e mães, que revelavam que se sentiam atraídas pelos próprios filhos, sobrinhos, primos, tios e cunhados. Como lia e leio até hoje, os relatos de filhos que sentem desejos pelas mães, tias, madrinhas e madrastas. Cada vez que lia um relato sobre incesto, eu me via dentro dele. Foi então que o filho dele, que mora com a mãe, veio passar um feriado conosco. Que belo garotão em que ele havia se transformado.
Estatura mediana, forte, corpo malhado, moreno claro como o pai. Notei que me vendo bem a vontade em casa, ele me olhava com olhar de desejo e tara, aquilo foi mexendo comigo. Ele fazia questão de me olhar nas minhas coxas, bunda, e na direção da minha xota, às vezes, na frente do próprio pai que nada percebia. Como naquele dia o pai dele, meu marido, havia saído bem cedo para o trabalho, ele é taxista executivo no aeroporto de Viracopos, em Campinas; em seguida, entrei no banheiro de visitas que meu enteado estava usando para pegar toalhas usadas e vi que uma calcinha minha estava ali pendurada. Estranhei ao ver a minha minúscula calcinha fio dental naquele banheiro, e ao pegá-la para levá-la para o banheiro do meu quarto, percebi que ela estava toda melada de porra, passei o dedo e senti aquele creme denso, cheirei e quase lambi, e na hora tive a certeza que ele, o filho do meu marido, havia se masturbado e gozado nela em minha homenagem. Ao invés de ficar brava com aquela inusitada situação, me senti desejada e excitada, ficando meladinha na minha boceta. Deitei na minha cama, me masturbei e gozei gostoso, enfiando dois dedos na minha boceta, me imaginando sendo comida por ele.
A partir desse fato, tive certeza que ele me queria, e eu, passei a desejá-lo também. Sem deixar que o pai dele percebesse, passei a usar roupas mais ousadas e provocantes em casa, foi demais. Com a desculpa de atualizar os seus contatos no WhatsAAp, ele pediu novamente o número do pai dizendo que havia apagado sem querer, e pediu o meu próprio Whats. Na hora eu percebi que ele queria mesmo era ter o meu contato para interagir comigo e não deu outra. Como o meu marido sempre me pediu para ficar em casa, sempre bem arrumada, de forma provocante e sensual, já sabendo que o meu enteado a cada momento me cobiçava mais, comecei de maneira propositada a ousar mais, usando minúsculos shortinhos jeans rasgados, como ainda, mini saias bem curtas, quase deixando aparecer a minha bunda. Eu percebia que ele ficava me olhando, louco, maluco de tesão, e notava o enorme volume que se formava por baixo das bermudas e shorts que ele usava em razão do seu pau que ficava bem duro.
Ele só não tentava alguma coisa comigo porque a nossa empregada estava em casa. Na terceira e última noite que ele ficou em casa, me sentei ao lado do pai dele, de pernas cruzadas na nossa sala de TV, usando um vestido curtíssimo, deixando a mostra as minhas coxas, e ao cruzá-las, eu fazia os movimentos de cruzar as minhas pernas que permitia a ele ver gostosamente o fundo da minha calcinha fio dental. Sem que o pai dele percebesse, ele me olhava na cara dura e apertava o pau duro sob o tecido da bermuda de algodão que vestia e para mostrar o volume do seu pau para mim, ele não usava cueca. Eu ficava abraçada ao pai dele, com a minha boceta toda meladinha e louca pra pular em cima dele. Ele ficava louco de tesão e se levantava, ia no quarto, se punhetava e voltava. Como o pai dele toma remédio para dormir, naquela noite decidi dar um show para ele, foi demais.
Quando fomos para o nosso quarto, eu e o pai dele, fiz questão de deixar a porta do quarto entreaberta e o meu marido em razão do remédio que toma, logo dormiu e eu fiquei deitada de pernas abertas, só usando uma minúscula tanguinha branca e uma regatinha, deixando a luz do abajur acesa, foi uma loucura. Não demorou e indo ao banheiro, ele olhou para dentro do nosso quarto e me viu ali, deitada e de pernas abertas, alisando a minha boceta por cima da minha calcinha, que tesão. Achando que eu não o via, ele tirou o pau pra fora da bermuda e me olhando pela fresta da porta, passou a se punhetar, foi demais. Um estranho tesão tomou conta de mim, e o vendo se punhetar me olhando, abri ainda mais as pernas e comecei a me masturbar gostoso enfiando dois dedos na boceta pela lateral da calcinha, que delicia. Eu me mexia e remexia na cama, ao lado do pai dele que já dormia um sono profundo, enquanto ele, o filho, se punhetava gostoso vendo a sua madrasta se exibindo igual uma puta de rua. A vontade que eu tinha era de levantar e ir dar pra ele gostoso, mas me controlei. Gozei muito me acariciando na boceta enfiando dois dedos nela, ele também gozou bastante, deixando o tapete da porta do nosso quarto, todo melado, para em seguida ir se lavar no banheiro.
Na manhã seguinte nos levantamos e ao nos despedirmos ele quase me beijou a boca, notei que ele me olhou com uma tara incrível e saiu com o pai que o deixou na rodoviária de Campinas para ele retornar para a cidade dele. Passado um hora mais ou menos, o meu WhatsAAp toca e ao abrir, vi que era ele, que em uma mensagem bem safada, escreveu: “Não se preocupe, sei que o meu pai não te come mais. Você é uma mulher bonita, gostosa e muito tesuda. Na próxima vez eu vou te comer bem gostoso, pode me esperar e não vai demorar”. Louca para que isso acontecesse, respondi: “Se você for discreto e souber guardar segredo, volte logo, vou te esperar”. A partir daí passamos a nos falar diariamente pelo WhatsAAp, com ele me enviando fotos do pau bem duro, as vezes até quando estou deitada ao lado do pai dele, e passados uns 40 dias ele retornou, mas, essa história vou contar no próximo relato.

Atenciosamente,
Bella Lady | ennolysex@bol.com.br

MALÍCIAS DE UMA ESPOSA


Em um pequeno povoado, um pouco mais afastado, vive um casal, ele passou dos 50, e ela passou dos trinta.
Comparando com as curvas da vida, ela está no seu ponto mais alto e pretende  ir além.
Ele que já se encontra no ponto mais alto nas ondas da vida. Mas, isso é bom!
É bom demais!
Alguém já ouviu O CÔNCAVO E O CONVEXO? uma música do Roberto Carlos ?
È bem por ai sei disso porque convivo cada momento, e apesar de toda a minha experiência, já fui surpreendido muitas vezes, na ultima vez era uma tarde de quinta feira e estávamos sozinhos em casa. Por volta das seis da tarde ela disse:
- Hoje vamos fazer um amor bem gostoso Se prepara  que vou na Vila comprar um vinho.
Eu fiquei super animado, afinal nossas " brincadeiras", sempre são quentes.
Me preparei todo; um banho caprichado, um asseio completo, como se fosse para uma cirurgia, depois passei um pouco de talco, mas sem exagero, de leve, tomei uma dose de "Empurra não" (Uma cachacinha artesanal), e achei meia garrafa de vinho tinto seco e fiquei bicando enquanto assistia um belo pornô, onde dois Homens traçavam uma gata linda, coisas que eu já fantasiei e espero participar, sendo a minha esposa a parte do meio, pois é e eu estava mergulhado em fantasias e nem percebi quando a porta do quarto se abriu, só percebi quando uma mulher desconhecida semi-nua estava em pé do lado da cama!
Carai, vei! Foi um susto da porra! Em não sabia se corria ou se pulava em cima, fiquei p a r a l i s a d o !
Acordei com um tapa da Ana que acho que até hoje ouço o eco das cigarras.
- Tá olhando o que?
Nunca viu boceta? E esfregava a xereca no meu rosto, me virou e me deixou de deitado, Montou no meu peito, puxou a mulher pelo cabelo, arrancou a pequena calcinha, e a fez sentar em meu rosto.
Ah! Que maravilha! Eu até quase esqueci do tapa que levei minutos antes, aquela pequena xereca toda molhada no meu rosto era tudo! Agarrei de jeito e já meti a língua na frente e atrás, ... que coisa linda, aquele cuzinho lindo dentro de minha boca, aqueles lábios rosados, colados nos meus, isso era o céu!
- Alôô! Eu estou aquii!
Pqp! Ana estragou tudo!
- Pera ae Papai, o presente não é seu, o presente é meu.
Falou isso enquanto beijava a moça e enfiava o dedo na bocetinha dela, e ela estava gostando!
Foi ai que tentei participar, metendo uma mão aqui, uma língua ali...
Tomei outro tapa, desta vez da "amiga" da minha esposa.
Ana falou: Gata, me da uma ajuda aqui, pega os dois braços dele enquanto eu ponho as algemas.
Resultado, fui algemado, e amarrado na cabeceira da cama onde eu não alcançaria dois palmos.
E as duas se comiam de todas as formas, aquilo era um martírio, era como se você tivesse morrendo se dede, a dois palmos da água.
A cena era demais, aquelas xaninhas molhadas sendo tão bem lambidas, sei disso porque só assim pude ver de perto os olhos de uma mulher quando são acariciadas onde elas mais gostam e por quem conhece esses pontos pois eles estão em seu corpo.
Depois de se chuparem e gozarem bastante, com intervalos em que elas esfregavam as xerecas molhadas em meu rosto, e enfiavam os dedos no meu rabo. Ai me soltaram da cama, mas não tiraram as algemas, tomamos vinho, comemos queijo, e eu imagino como ia comer aquele rabo maravilhoso da nossa convidada. Elas saíram, achei que foram ao banheiro ou coisa assim mas, elas chegaram de chicote e chibata na mão!
Fudeu!
Essas mulheres me algemaram com um braço em cada lado da cama!
Passaram uma corda que fiquei com os dois joelhos encolhidos! E ainda puxaram para os lados! Fiquei totalmente exposto.
Sonia, "nossa convidada" Sentou na frente do meu rosto, com a boceta aberta e eu nem pensei, cai de boca!  E por baixo ana engolia meu pau e me deixava louco, foi ai que percebi que acima da xereca da sónia, tinha um pênis! Ela bateu com ele no meu rosto e Ana falou:
Achou que ira comer dois rabos? Ai mostrou que também estava com um.
Ana ficou por baixo me chupando e passando lubrificante na minha bunda, Sonia veio com aquele pau imenso e tentou enfiar. Puta que pariu! Que dor do caralho!
Ana com sua experiência, veio com rarinho, direcionando para o lugar certo, e ai? Entrou! e foi gostoso pra cacete!  Ana é q prova pois o meu pau estava na boca dela no momento da penetração. e ela sabe que gozei de imediato, a prova é que ela se engasgou.
Sonia nem percebeu nada e começou a enfiar aquele pau com força e cada vez mais fundo que já estava machucando, mas, apesar de machucar eu gostava daquela raiva que ela demonstrava, eu já não sabia mais onde estava o prazer; se era pelas sensações do pênis passando pela próstata, se era pela dor, ou se era pelo olhar de Sonia que parecia estar gozando ao me comer
Sei que foi uma experiência maravilhosa.
________________________________________________________________

Um sorvete especial

Em uma bela tarde de sol estávamos na piscina, Eu, Ana que é minha esposa e um amigo de outro estado que nos fazia uma visita, entre os goles de um bom vinho o papo esquentava, o sexo passou a fazer parte da conversa, eu e Ana somos um casal que se pode chamar de "quente", sempre tentamos quebrar as barreiras desde que isso nos traga prazer, em nossos planos tínhamos uma fantasia de sexo a três, poderia ser com um homem ou com uma mulher, e em nossas conversas na piscina esse assunto veio a tona, a princípio Hugo ficou meio sem graça, mas aos poucos foi se soltando e percebemos que ele ficou excitado, (sabemos que o homem não consegue disfarçar quando está excitado. Ana percebendo isso ficou mais provocativa, passou a se exibir um pouco mais e as vezes passava roçando hora em mim, hora em Hugo que me olhava meio que desconfiado ou envergonhado, Ana saiu para pegar uns petiscos e ficamos os dois com a chance de conversar, perguntei a ele o que ele achava da Ana, ele respondeu meio sem graça que a achava bonita e sensual, perguntei se ele toparia fazer sexo com a gente, ele meio amarelado disse que toparia mas não saberia se conseguiria com outra pessoa olhando.
Ana voltou e ele saiu para ir ao banheiro ou algo assim, perguntei a ela se  toparia uma brincadeira a três, ela respondeu que sim, mas teria que ser do modo dela, eu meio que sem entender perguntei; Modo Que modo?
Ela me disse que o que mais excitava ela no Hugo era a bunda dele, disse que ficava molhada só de olhar para aquela bundinha maravilhosa, eu que a conheço muito bem sei da queda dela por um rabo de homem, pois ela já me fez ir do inferno ao céu com as suas loucuras. E ainda disse que achava o Hugo muito metido a macho e ela queria mostrar que nem sempre se é aquilo de se demonstra.
Quando Hugo voltou estávamos nos esfregando ele quando viu tentou voltar, mas Ana o chamou:
- Venha aqui mocinho, não fuja que hoje você não me escapa, Hugo ficou paralisado, ficou amarelo, branco, vermelho, gaguejava, foi uma cena quase que cômica, Ana foi até ele pegou seu rosto e o beijou na boca enquanto suas mãos desciam pelo corpo arrepiado, desceu pelas costas e chegou na bunda apertando as nádegas dele puxando de encontro a si, percebi os olhos dele tentando me achar, talvez com medo de minha reação, Ana percebendo isso me pediu para ir buscar uma garrafa de vinho, ela continuava a apertar as nádegas do pobre que ele tentou tirar a mão dela, mas foi de imediato repreendido com um tapinha nas mãos, ele tentou falar algo e ela pôs o dedo em seus lábios pedindo silencio: Shiiii, aqui quem manda sou eu. Ela desceu a boca pelo pescoço dele, mordiscando as orelhas e a nuca, sem largar o corpo dele ela girou e ficou por traz, mordendo a nuca e fazendo pressão contra as nádegas dele, e as mãos já deslizavam pelo seu peito até a sua virilha onde o pau estava quase furando o short.
Cheguei com o vinho e servi as taças, Ana encheu a boca com vinho e  desceu até o penis dele e pôs na boca junto com o vinho, vi os olhos dele revirarem até quase sair da orbita, ele instintivamente pegou os cabelos dela e puxou-a de encontro ao seu pau enfiando ele todo na boca, ela o empurrou carinhosamente e o repreendeu.
- Quieto, sou eu quem da as ordens aqui, disse isso e o empurrou de encontro a uma cadeira de praia, ele caiu deitado de costas e ela sentou-se sobre seu colo se esfregando por cima da roupa, Hugo parecia que ia gozar só com o contato, ela subiu um pouco mais sentando em seu rosto, tirou o biquíni e esfregava a xaninha no rosto do Hugo que tentava enfiar a língua em sua bocetinha mas ela não parava de se esfregar, ele tentou segura-la mais uma vez, Ana se levantou e disse: Você não aprende mesmo, não é? Já sei o que vou fazer, me aguarde, se levantou e entrou em casa.
 Hugo ficou sem assunto, não podia mais esconder a excitação, Nem deixei que ele me falasse alguma coisa, já o tranqüilizei e disse que era pra ele ficar a vontade, mas que não a provocasse muito porque ela gosta de dominar, ela demorou um tempo depois voltou, me beijou, me apertou em todos os lugares, e Hugo olhando, Tirou o meu pau e engoliu inteiro, Hugo parecia hipnotizado com a cena, Ana percebendo isso foi até ele e o agarrou pelo pau e veio puxando até que ele ficasse ao meu lado, sentou-se na cadeira e nos dois de pé com os membros a altura de seu rosto, ela tirou nossos shorts, e nos juntou de lado com energia, agarrou uma de minhas nádegas e outra do Hugo, e puxou nos dois para a sua boca se revezado com os dois paus em sua boca e as vezes tentava enfias os dois ao mesmo tempo, ela sempre maliciosa quando engolia o meu pau ela apertava a bunda com os dedos quase roçando o anus, aquilo e demais, e ela estava fazendo a mesma coisa com Hugo, que no começo ficou meio sem jeito, mas ao ver meu comportamento em aceitar as caricias ousadas de Ana ficou mais relaxado e ela notou isso e passou a ser mais ousada ainda, o pobre do Hugo já estava quase gozando e novamente tentou agarrar os cabelos de Ana para enfiar o pau mais fundo na sua garganta.
Ana deu uma boa palmada na bunda dele e disse:
Você não se comporta mesmo não é? Pois agora você vai aprender a ser obediente.
E nos empurrou bebeu mais vinho e saiu, Hugo ficou sem graça, achou que tinha estragado tudo, mas eu o tranqüilizei, calma rapaz, isso é só o começo, relaxa e aproveita, deixa com ela que você não vai se arrepender. Ana passou mais um tempo lá dentro e depois voltou e bebemos mais um pouco de vinho, e continuamos a conversa, Ana perguntou o que Hugo gostaria de fazer com ela, ele respondeu que queria transar com ela de todos os modos possíveis, Ana disse; Tem certeza? Pois eu também quero transar com você de todos os modos possíveis, lembre-se que aqui os direitos são iguais.  Só que você não se contem, é muito apressado e só tem um modo de te controlar, dizendo isso ela pegou nos dois pelos pênis e nos arrastou para dentro de casa. Quando chegamos no quarto tinha uma cadeira com cintas, cordas etc., me sentou na cadeira de frente para a cama e me amarrou, Pegou uma coleira e prendeu Hugo pelo pescoço, levou ele para a cama onde o deixou de joelhos e prendeu seus braços na cabeceira da cama, pôs uma venda em meus olhos, e outra em Hugo, ele ao me ver amarrado e vendado, ficou mais solto, só que Ana tirou minha venda mas ele não sabia disso, Ana esfregava a boceta no rosto do coitado, deitou ele de costas e se esfregava toda deixando-o louco de tesão, Ana o virou de bruços e deitou-se por cima dele esfregando a xereca em sua bunda, que ele empinava cada vez mais, ela percebendo isso passou a beijar as costas, morder a nuca, respirar em suas orelhas e apertar as suas nádegas, ela veio descendo a língua pelas costas do pobre até a sua bunda, ele parecia uma cobra de tanto que se retorcia, Ana pegou uma chibata que usamos em nossas brincadeiras, e passou no rosto dele para que ele soubesse o que era, e passou a bater de leve, Hugo muito excitado pedia pra ela bater com mais força, ela revezava entre leves palmadas e chibatadas com beijos e lambidas, misturadas com pequenas mordidas em sua bunda, o interessante é que quanto mais Ana se aproximava de seu anus, mais ele se abria, como se tivesse se oferecendo, Ana saiu e voltou minutos depois com um pote de sorvete, passou o dedo no creme e passou nos lábios de Hugo que quase engoliu o dedo dela, Ana encheu a mão de sorvete  e passou no corpo de Hugo que tremia pelo frio do sorvete e pelo tesão que sentia, ela passou a fazer uma espécie de massagem com o sorvete deixando o corpo dele totalmente lambuzado, e depois veio com a língua lambendo o creme que escorria pelo seu corpo, sua língua desceu pela bunda passando pela fenda em direção as suas bolas, Hugo levantava a bunda ficando em uma posição totalmente exposto, e facilitou a mão cheia de sorvete a envolver suas bolas e pênis que parecia que ia explodir de tanto tesão, aquela massagem tipo ordenha foi demais para ele, ela com uma mão fazia a ordenha, sua boca mordiscava as bochechas da bunda do pobre e quando um dos dedos meio que sem querer penetrou em seu anus, Hugo soltou um forte gemido e saíram vários jatos de esperma que chegou a cair em minhas pernas a quase dois metros de distancia, quando ela percebeu o que estava acontecendo ela penetrou o dedo mais fundo, fazendo uma massagem na próstata de Hugo que chorava de prazer com a boca de Ana engolindo seu pau molhado de sorvete e esperma.
Agora Ana tira a venda de Hugo e ele pode me ver e ver Ana toda molhada de sorvete, ela me soltou, me puxou para a cama, deitou Hugo de costas e ficou na posição de 69, Hugo parecia desesperado tentando engolir a boceta dela, ela me puxou e me fez penetrá-la enquanto Hugo a chupava, não resisti, e com poucas estocadas gozei como um louco em sua boceta melada de sorvete, sai de cima dela que ficou de cócoras no peito de Hugo para que o esperma escorresse em seu corpo e ela se esfregava nele que já estava duro novamente, ela vendo isso montou e me puxou pelos cabelos, se deitou empinando o bumbum para que eu lambesse seu anus ai tive uma visão maravilhosa pude ver aquela boceta gostosa engolindo aquele pau inteiro, Não satisfeita ela pediu que eu a penetrasse em sua bundinha, fizemos uma dupla penetração maravilhosa, gozei gostoso em seu cuzinho enquanto Hugo gozava em sua bocetinha.
Foi uma das melhores transas de nossas vidas.
________________________________________________________________

Você fica no bar da recepção beberricando um whisky velho, com gelo e me passa o número e a chave do quarto onde sua mulher já está me esperando.
Nervosamente percorro o corredor ladeado de portas numeradas e detenho-me na que ostenta o numero indicado. Insiro o cartão magnético na ranhura da fechadura electrónica até ouvir o estalido que me indica que o trinco está desbloqueado. Empurro a porta, entro no quarto e , na semipenumbra que as cortinas cerradas apenas permitem, contemplo o corpo de sua esposa, bela, imóvel,  deitada na cama. Vislumbro um rosto que adivinho: belo e sereno. Olhos negros e lábios lindos , vermelhos e sexys. Corpo de mulher feita para amar.
Entro no banheiro e depois de uma rápida ducha, regresso e ela continua imóvel na mesma posição, agora  com uma mão entre as mais belas pernas que alguma vez vi, afagando suavemente os lábios vaginais e com  a outra acariciando os túrgidos e salientes mamilos. Estou morrendo de tesão.
Deito-me ao seu lado e afago com suavidade os seios, o ventre e sinto que se arrepia de prazer.
Percorro com a língua tremente cada pedaço de pele desse doce e palpitante corpo, ela entreabre ligeiramente as pernas mostrando a sua viva rosada e vibrante gruta do amor, como que me convidando a entrar.
Entro com a língua e docemente vou passando pelos grandes lábios e detenho-me no  clitóris em movimentos lentos e circulares.
afago os seios, roço com os dedos leve e suavemente os tugidos mamilos, passo a lingua docemente em redor deles e vou lambendo com deleite a doce e acetinada pele passando pelo pescoço até me deter na boca cujos apetitosos e deliciosos lábios ligeiramente entreabertos convidam a minha língua, ávida de amor e desejo.
Exploro cada milímetro daquela quente, húmida e deliciosa boca.
Ela já com as pernas afastadas, eu com uma tesão enorme começo a penetrar lenta e suavemente aquele húmido palpitante e incrivelmente quente, ninho de amor. Sussurro-lhe ao ouvido doces palavras de tesão, ela geme de desejo e excitação, sinto o meu corpo totalmente colado à pele cálida e suave desta linda e gostosa fêmea. Começo com lentos movimentos de vaivém, afundando cada vez mais a minha rola dentro dela geme de desejo, levanta a bundinha e puxa-me com força para ela tentando que o meu caralho  a penetre mais intensa e profundamente, paulatinamente vou acelerando o ritmo dos movimentos e ouvindo cada vez mais fortes os doces gemidos de sua esposa, chegamos ao extase explodindo num violento, intenso e épico orgasmo que nos deixa exaustos e imóveis prostados de real e  infinito prazer.
A sua esposa sussurra no meu ouvido: Vamos fazer outra vez!

Prometi que iremos fazer mais vezes.


zecaxandre@gmail.com


Quero poder compartilhar com todos,sou um moreno de 46 anos,baixo,e modéstiamente com belo cassete GG 22 cm de extremamente grosso,cabeçudo,safado e com muito tesão por maduras casadas,principalmente as de seios grandes,xota peluda,safadas que chupem e gostem de ser também muito cortejada com muito carinho,mas num anuncio indicado por um amigo tive a o oportunidade de conhecer este casal,no qual relato aqui,,eles completamente diferentes do que procurava,ela uma senhora oriental,48 anos,magra,e ele um homem moreno,de 70 anos,corno a mais de 10 anos,casou com esta japa,mas não tem aguentado o tranco,foi ai que entrei,numa conversa ele relatou que sua jápinha e muito atrevida,e sempre falava em conhecer um outro brasileiro,então de ouvinte e curioso,passei a ser tarado,comecei a dar ouvidos a ele,e demonstre interesse,já fui namorado de uma japonesa,não tive a oportunidade de fode-la,aguardando o casamento,mas garanto,elas com cassete na boca deixa qualquer um louco,digo isto pelo seguinte,não a todo,mas era chupado em quase todo encontro,então com isso na mente me interessei logo,e disse,como fazemos e disse,deixa comigo,e foi num sábado,tudo já arranjado,la estava eles,o velho e sua japa nova,encabulada,mas aos poucos se soltou,foi então que meus olhos se arregalou naquela buceta,pelos lisos e pretos,seios pontudos ,não como eu queria,mas não polpei,juntei eles e meti a boca,enquanto minhas maos massageava seu corpo e corria e direção a xota ,então senti quando ela tocou meu cassete com a boca,senti meu pau sendo espremido pelos labios dela,seu esposo babando,mas o saco mucho,apenas assistia o desfecho,então deitei ela na cama,abri suas pernas,e coloquei minha língua no grelinho dela,senti a umidade de sua excitação,meu pau chegava a doer de tanto duro como o tesão para enterrar dentro dela,foi quando se aproximou o velhote e pediu,posso dar uma mamada antes no seu pau,depois deixo vocês a SOS,falei,claro,o velho parecia um bebe na mamadeira,mas não queria alimentar ele,então pedia a japa,senti no meu pau,e ela não perdeu tempo,senti meu cassete deslizar dentro dela,que muda,rebolava,sem falar nada,mas não queria terminar assim,apos algumas posições,a virei de bruços e me deitei por cima dela,enterrando meu pau ate o mais Fundinho daquela japa,senti suas carnes tremer em,a safada estava gozando,e só faltava eu,então chamei o corno e perguntei,,onde quer o final,e ele disse,deixa bem la no fundinho da buceta dela que saberei o que fazer,então sendo assim,caprichei,empinei a bunda dela,dando mais volume a buceta e gozei,tirando o pau de dentro com Leitinho junto,e logo o corno se achega e faz a faxina geral com a língua,sugando a xota dela,foi esta uma experiencia que curti muito,hoje sempre que convidado frequento a casa deles,nada abusivo,para não dar motivos a conversas indiscretas,,se tiver um casal onde marido queira viver uma experiencia assim,entre em contato,não tenho preconceitos a cor,idade,peso,mas uma coisa peco,as baixinha,bundudas,peitudas e peludas tem meu gosto,mororó em. Sorocaba,,watts 11953398784 enviem fotos para moaducaitu@hotmail.com retribuo,sigilo e descricao garantido,oral,vaginal,anal,sem interesses financeiros,emocional,informações entre em contato,itu,salto,Sorocaba ou cidades próximas,

Quer fazer a felicidade da sua esposa,de um presente a ela,um amante pauzudo,cacetão 22 cm,que curte uma xoxota chupando bem demorado,seios fartos,e uma foda bem completinha ,melhor chifre consentido do que escondido ,dói menos,,mulheres sem preconceitos,mas não abro mao de peitudas,baixinha,,sou discreto,informações,11953398784 watts,fotos só por email, posteriormente

Atenciosamente,
Marcus | moaducaitu@hotmail.com

________________________________________________________________


Enviada por Anônimo.

Essa aconteceu comigo uns anos atrás. Morava num condomínio de casas em Jacarepaguá e meu vizinho se tornou um amigo. Nossas casas eram um ao lado da outra e tinha uma janela muito indiscreta da minha sal para a sala dele. Como era muito religioso, assim como a esposa, disse não ter problema algum e não fizemos nada em relação as janelas deixando só os arbustos crescerem para dar mais privacidade para as salas das casas. Minha comidas femininas eram nos dois quartos no segundo andar e não havia problemas. Hélio e Laura eram cinquentões.

http://imagens.coroascaseiras.net/2013/01/565/Cinquentona%20loira%20fantasiada%20de%20medica8.jpg

Laura era muito recatada mas também era um avião loiro de responsa apesar de ter 52 anos. Hélio, boa praça, tinha 58 anos. Eu, na época, estava com 42 anos mesmo assim, fizemos amizade.

Conversa muito boa com cervejinha e com a laura sempre fazendo surpresas. Empadinhas deliciosas, salame fatiado com limão. Queijinhos... Por duas semanas, precisei me ausentar e avisei ao Hélio.

Ele, educadamente, disse que poderia ir tranquilo que tomava conta. Apesar de ser um condomínio com vigias é sempre bom ter mais olhos vigiando. Uma semana depois, a firma disse que poderia antecipar a minha volta, tudo estava resolvido numa filial no sul. Ao invés de voltar num sábado, acabei voltando numa quarta, ou seja, dois dias antes. Cheguei por volta das 17 horas no aeroporto mas o trânsito e a chuva me fez chegar às 22 horas em casa.

Não avisei ao Hélio e tudo estava em silêncio. Entrei no escuro em casa e só a luz da sala deles estava acesa. Fui até lá ver o que estavam fazendo e tive uma tremenda de uma surpresa. Um dos seguranças do condomínio comia a Laura, os dois quase de frente para mim. O negão enfiava a marreta nela com muita vontade e ela 'sofrendo' no sofá, de quatro. Vi quando Hélio, bebendo a cervejinha dele, pacientemente, passou pea esposa e olhou seriamente, disse algo e sorriu para o segurança parrudão que continuava o serviço dando tapas no rabo da Laura. No escuro da minha sala, onde estava, não me veriam nunca. Houve um momento que pararam. Ela pediu algo e sorriu. O negão passou algo no pau, acho que azeite. Era uma caralhão imenso. Ela se postou novamente e esperou. Fez cara de dor.

Pediu calma segurando o pintão dele. Ele pediu algo e ela começou a rebolar. Hélio fazia carinho no rosto dela. Logo, o negro fodia e ela mordia os beiços. Um bela enrabada !

 ________________________________________________________________